“Foi graças ao nascimento de meu filho que fiz minha primeira novela"

Terça, 12 de Maio de 2015

Denise Del Vecchio interpreta a guerreira Joquebede em Os Dez Mandamentos. A personagem mostrou muita fé e coragem ao separar-se do filho, Moisés, na tentativa de salvá-lo. Especialmente para o Dia das Mães, a atriz concedeu uma entrevista onde falou dos prazeres e desafios de criar um filho e afirmou que ser mãe impulsionou sua carreira.

 

Como está sendo a experiência de representar Joquebede, a mãe de Moisés?

Denise: Ter como responsabilidade representar a mãe de Moisés, Joquebede tem sido uma tarefa bastante árdua embora muito prazerosa. Lembro que, na primeira fase, quem teve esse privilégio foi Samara Filippo, que fez as cenas mais contundentes da separação mãe e filho. Joquebede é a mãe que tem fé, coragem e atitude para separar-se de seu filho na tentativa de salvá-lo. Muitas vezes me perguntei se teria coragem para fazer o mesmo. Ainda não tenho essa resposta. Apesar da distância e do tempo, ela nunca perde a esperança de estar com o filho novamente. Além disso, tenho a sorte de fazer parte de um elenco muito harmonioso e cheio de talento e isso facilita o trabalho.

 

Por você ter filho, essa experiência te ajuda ao interpretar uma mãe?

Denise: Certamente sim. Mas não considero necessário para uma atriz ou ator ter vivido uma experiência para desenvolver uma personagem. Podemos buscar conhecimento na observação, em livros, filmes, etc. Caso contrário não poderíamos fazer personagens tão distantes na história.

 

Qual a maior dificuldade e o maior prazer de ser mãe em sua opinião?

Denise: São muitas as dificuldades. Em primeiro lugar as dificuldades materiais. Temos que alimentá-los, vesti-los, educá-los, e torná-los adultos responsáveis consigo mesmo e com a comunidade em que vivem. É um enorme desafio criar um outro ser humano! E toda mãe sempre deseja o melhor para seu filho. Com tudo isso, temos que ser cuidadosos para não sufocá-los ou torna-los instrumentos dos nossos sonhos. Muitas teorias existem, mas ninguém tem a receita de como educar uma criança,  já que cada indivíduo é único e cada relação mãe e filho também. Ao lado de todas as dificuldades vem o amor inexplicável por aquela criaturinha, que acaba de nascer, mal abre os olhos e já é o centro da sua vida. Um amor que vai se multiplicando com o passar dos dias e que dura para sempre. Cada gesto, cada conquista desse filho (a) nos deixa plenos de alegria e realização. Basta um sorriso do filho e o mundo entra em harmonia.

 

Como era a Denise antes de ser mãe e como você é agora? Teve alguma mudança?

Denise: Fui mãe muito jovem para os padrões atuais. Tinha 21 anos. Foi graças ao nascimento de meu filho que fiz minha primeira novela. Ele tinha 4 meses quando bati na porta da TV Tupi e consegui um papel na novela Ídolo de Pano. A responsabilidade de sustentar o André impulsionou minha carreira. Com o André ganhei um companheiro de todas as horas. Hoje, além de tudo é um colega de trabalho e me deu duas netas.

 

Se você tivesse a oportunidade de pedir um presente de dia das mães a Moisés, o que pediria ao príncipe hebreu?

Denise: Joquebede pediria a Moisés para voltar para sua família e para seu povo. Pediria a oportunidade de conviver algum tempo com ele.

 

Ser mãe é?

Denise: Ser mãe é estar sempre presente. Um constante exercício de doação e amor. É sentir o coração explodir de alegria com um simples tocar de campainha anunciando a presença do filho(a).

 

Foto: Michel Ângelo/Rede Record.

Saiba das nossas novidades

Cadastre-se abaixo e receba a nossa newsletter.
Record
Av. do Contorno, 1545 - Floresta - Cep 30.110-005 Belo Horizonte - MG / Telefone: (31) 3217.8200